GESTANTES E H1N1

Ser mãe é estar sempre atenta aos perigos do dia a dia. E esses cuidados vão além dos cuidados com o bebê. Para cuidar dos pequenos é preciso cuidar também da mamãe. A vacinação contra o vírus influenza em gestantes é uma estratégia eficaz de proteção para a mãe e para o bebê.

Moda Gestante

 

Estudos mostram que bebês de mães vacinadas durante a gestação apresentam níveis protetores de anticorpos contra influenza que podem persistir até os primeiros seis meses de vida. Assim, além de proteger a mãe, a vacinação durante a gestação reduz o impacto da doença em bebês e o risco de hospitalização que é extremamente elevado nos primeiros meses de vida.

Durante a gestação observa-se um maior risco de complicações geradas pela gripe. Além de causar problemas na saúde da mãe, que pode evoluir rapidamente para uma pneumonia e dificuldade de respiratória, o bebê acaba sofrendo também e aumenta o risco de parto prematuro. Assim, por fazerem parte de um grupo de maior risco para complicações da gripe as gravidas devem se vacinar independente da idade gestacional em que estejam.

Como podemos evitar a gripe e o H1N1?

A  vacina é a melhor prevenção para a doença. Porém, como prevenir nunca é demais, outras medidas simples podem ajudar a evitar a disseminação dos vírus.

 ●  Lave as mãos com frequência. Vírus podem sobreviver por duas horas ou mais em superfícies como torneiras ou telefones. Por isso, lavar as mãos com frequência ainda é uma medida que ajuda a evitar infecções de um modo geral.O ideal é usar água e sabão. Esfregue os dois lados das mãos por ao menos 15 segundos e enxágue bem. É sempre bom também ter na bolsa álcool gel para quando não for possível lavar as mãos.

 ●  Evite colocar as mãos no nariz, olhos ou boca. Você pode até achar que suas mãos estão limpas, mas, se elas encostaram-se a uma maçaneta, xícara, porta de geladeira ou de banheiro que alguém contaminado tocou, o vírus pode passar para suas mãos e te contaminar.

  ●  Não beije ou cumprimente com as mãos pessoas gripadas. Se não tiver jeito mesmo, lave bem as mãos logo depois.

 ●  Abra todos os dias as janelas de casa e mantenha os ambientes bem arejados.

 ●  Evite multidões e locais com concentração de pessoas, especialmente os fechados (isso vale para o transporte público, onde houver surto). Se trabalhar em locais fechados, peça para que as janelas sejam abertas e procure ficar perto delas.

 ●  Evite viajar para áreas com surtos da doença.

 ● Oriente as pessoas a não tossir ou espirrar cobrindo a boca com as mãos, porque elas ficam então cobertas de vírus, que pode ser facilmente espalhado. A recomendação é cobrir o nariz e a boca com lenço de papel ao espirrar ou tossir e depois jogá-los fora.

 ● Sempre que alguém tossir ou espirrar, deve lavar bem as mãos ou limpá-las com gel anti-séptico à base de álcool ou com lenços umedecidos.

 Como vou saber se estou com a gripe H1N1?

Os sintomas da gripe H1N1 não são muito diferentes dos da gripe comum:

●  febre

●  dor de garganta

●  tosse

●  cansaço

●  dor de cabeça

●  dor no corpo

Grávidas com sintomas de gripe, principalmente febre alta, tosse e/ou dor de garganta, devem buscar o seu medico mesmo que tenham sido vacinadas, para que sejam tomadas as medidas necessárias. Alem disso é importante ficar sempre atenta para os sinais de alerta de problemas na gravidez.

 Sinais de alerta! Se tiver algum desses sintomas, procure ajuda médica imediatamente:

●  Dificuldade para respirar ou falta de ar

●  Catarro com sangue

●  Dor ou pressão no peito ou no abdome

●  Pele azulada ou roxa

●  Tontura de repente, confusão mental

●  Vômitos persistentes

●  Diminuição nos movimentos do bebê

●  Febre alta que não cede

 Mulheres grávidas precisam de mais atenção, e por isso devem falar com o médico imediatamente ao sentirem qualquer coisa diferente. É fundamental, lembrar que nenhum medicamento pode ser tomado sem recomendação médica.

Texto extraído do Blog da Gestante, do Laborátório LPC

Tags: H1N1, SAÚDE, VACINA